terça-feira, 6 de novembro de 2012

É a vida, é bonita e é bonita

Um, nascido e criado no interior do sertão
De família pobre, não pôde receber uma formal educação

O outro, nascido e criado na grandeza da cidade
Que mesmo sem pedir, usufruiu de tal oportunidade

Um, encantou o povo com sua autenticidade e alegria
O outro, arrebatou a todos com a força sincera de sua poesia

Um, era escravo voluntário da música que o criou
O outro, buscava nas palavras liberdade de quem não lhe amou

Se o instrumento de um emite um belo som
Acompanhado de um outro elabora melhor o tom

Assim, um reconhece que na harmonia da parceria
Se canta um verso que no coração do outro tão só repetia

É a vida
É bonita
E é bonita


Inspirado no filme Gonzaga, de Pai para Filho.

6 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Larissa,

É o drama. Sintetizaste belamente. Vi o trailer do filme.

;*
Marcos

Henrique Miné disse...

olha só, que coisa mais linda!

você tem uma facilidade com as rimas, fica tão gostoso, flui tão beem!

(dei uma lida no seu tcc, preciso terminar. Mas porra, tava do caralho, hein!)

beeeijo!

LauraAlberto disse...

não vi o filme, mas fiquei com vontade de o ver
as tuas rimas fizeram tudo

beijinho

Fred Caju disse...

Massa! Não vi mas o trailer é de arrepiar.

Dani disse...

Que gostoso foi ler isso. *-*

Paulo Sotter disse...

Sou fã incondicional de Gonzaguinha, e o talento do velho Luiz Gonzaga é incontestável. Esse filme veio para resgatar essa riqueza da música brasileira. Certamente imperdível. Parabéns pelo post. Bom final de semana. Abraço

Licença Creative Commons
Blog de Larissa Bello é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.