terça-feira, 3 de setembro de 2013

Pedido ao amor

Me arrebata mas não me destrua
Me inebrie mas não me embriague
Me deguste mas não me engula
Me amarrote mas não me rasgue

Me conquiste mas não me derrube
Me silencie mas não me emudeça
Me envolva mas não me sufoque
Me desestabilize mas não me enlouqueça

Me mostre o tempo que não existe
Me contagie de pura beleza
Me esvazie do espaço que não delimite
Me preencha com sua leveza

10 comentários:

Bandys disse...

Ola Larissa,

Gosto muito da maneira que escreve. Percebi um certo limite nos seus versos o que acho ótimo.

Mesmo os pedidos de não delimitar precisam se feitos assim não há invasão.

Belo!!

Beijos e flores

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde Larissa.. ficou formidabilissimo esse teu poema. um querer seguir adiante mas com um certo medo do que receberia por ousar.. muito bom mesmo te desejo um lindo dia até sempre

Fábio Murilo disse...

Fiquei contagiado com tanta beleza, Larrisa, poema lindo! Ai que tá o perigo, se apaixonar. Querer ser uno, ser par. Par só nossa sombra. "Me preencha com leveza", você descobriu a formula do amor.

http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

Laura Santos disse...

Um grande poema, Larissa, gostei muito!
O amor não pode ser instrumento de delimitação do nosso eu, deve como você diz; arrebatar mas não destruir. O amor tem de ser sempre um acrescento em nossas vidas, deve ser intensidade e beleza.
Muito obrigada pela sua visita, que agora retribuo. Voltarei com mais tempo para ler mais.
xx

Ghost e Bindi disse...

Quem ama de verdade deve saber que o amor, como a borboleta, só pousa com leveza, e só permanece na liberdade oferecida a ele. Como o fogo, lindo ao ar livre, sufoca sem oxigênio. Seu poema tem uma beleza exata e ainda assim espontânea...
Um grande abraço, Larissa!
Agradecemos a sua visita ao nosso blog.

Bíndi e Ghost

Mulher Vã disse...

"Me preencha com sua levez". Que coisa mais linda!

Beijos

Fred Caju disse...

Curti bem mais as duas primeiras estrofes.

Dani disse...

Amar é também saber respeitar os limites do outro.

Beijos

Hellen Hosseini disse...

Um Senhor pedido.
Que coisa mais bonita de se ler.

Mateus Medina disse...

O amor tem vida própria. Vontade própria. Humor próprio.

Uma vez entregues, perdemos o comando...

bjos

Licença Creative Commons
Blog de Larissa Bello é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.