terça-feira, 16 de outubro de 2012

Original X Originalidade

Ser original é ser diferente
Enquadrado em algum grupo já existente

Ter originalidade é em nada se encaixar
Pois a liberdade está pelos poros a exalar

O original se multiplica
A originalidade diversifica

Ser original, numa multidão se destaca
Ter originalidade, é estar à margem do que se passa

O original tem o seu valor reconhecido
A originalidade valoriza os sinceros sorrisos

Ser original é sempre a todos surpreender
Ter originalidade é a si mesmo compreender

O original reconhece seus caminhos possíveis
A originalidade se alimenta dos desvios imprevisíveis

Ser original é a capacidade da própria vida mudar
Ter originalidade é com ela a si próprio se transformar


Inspirado no filme sobre a vida de François Vatel (1631-1671)

8 comentários:

aline disse...

e quem diz o que é original e quem julga a originalidade?

se tudo que é tão igual fosse igual ao chantilly...

NDORETTO disse...

Você é original!
Agradeço sua visitinha no blog e opa, que elogio!

beijão :)

Luís Gustavo Brito Dias disse...

A originalidade é uma questão de tempo.
aliás, o que diferencia original e original(idade) é apenas uma questão de idade.


grande abraço, querida Larissa.

Por que você faz poema? disse...

Me alimento dos caminhos possiveis
e dos desvios imprevisiveis.

Henrique Miné disse...

esse lance de "ser original" sempre me pareceu apenas uma bela de uma jogada publicitária.

mais que original, temos de ser verdadeiros. É foda que confundam tudo isso...

beeeeijo!

Fred Caju disse...

Há dificuldade em ambos.

Marcos Satoru Kawanami disse...

é

Dy disse...

Ei de concordar com quem disser, que o original parece estar em falta na sociedade...

Licença Creative Commons
Blog de Larissa Bello é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.