segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Percepção projetada

Hoje fecho as cortinas

Não quero ver o que a visão sem ela me mostra

Quero me cegar daquilo que sempre enxerguei

E vislumbrar a paisagem em mim que nunca avistei

Quero desvendar imagens camufladas

Que no anseio de serem logo interpretadas

Desvirtuam os olhos que insistem iludir

9 comentários:

Pri Dotta disse...

Muito lindo!
''Quero me cegar daquilo que sempre enxerguei

E vislumbrar a paisagem em mim que nunca aviste''

ADOREI! (:
Beijão! ;*

Marcos Satoru Kawanami disse...

Quando eu tomei da poção do amor que tu tomaste, eu exagerei na dose também. *-*

BjóKawanami

Dani disse...

Temos que mudar nossa maneira de ver para enxergar os detalhes. *-*

Beijos

Camila disse...

Gostei muito *-*

LauraAlberto disse...

é na escuridão que por vezes vemos o que sempre esteve lá

bejinho

Fred Caju disse...

Olho e ilusão é uma fronteira tênue.

Por que você faz poema? disse...

Os olhos me iludem
o coração me engana

Luís Gustavo Brito Dias disse...

Desfigura-te do véu, e da forma.
Sejas. Sempre.

Mara faturi disse...

Carambaaaaaa!! que "mara" este poema...me achei muito nele...
Bjo!!

Licença Creative Commons
Blog de Larissa Bello é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.