sábado, 9 de novembro de 2013

Infinito de nós mesmos


8 comentários:

Samuel Balbinot disse...

Bom dia Larissa.. este símbolo é algo sublime.. ele sempre continua .. se nos basearmos nele a gente jamais se perde da caminhada terrena.. bjs de bom dia até sempre

Bandys disse...

Oi Larissa,

Disse tudo. Se perder em nós mesmo é se achar e as vezes é se reinventar.

Beijos

Marcos Satoru Kawanami disse...

Larissa,

E que achado!

=D
Marcos

Fábio Murilo disse...

Se aventurando no poema concreto, Larissa? Saiu-se muito bem!

http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

Laura Santos disse...

Levamos a vida a perder-nos e achar-nos. E o que pode parecer paradoxal a nível da linguagem, é o que existe de mais concreto em nós...até ao infinito.
Porque é quando nos perdemos, que melhor nos encontramos connosco.
Muito bom, Larissa!
xx

AC disse...

Mergulhar em nós é necessário, na ânsia de nos encontrarmos. Às vezes as ondas são demasiado agitadas, outras vezes chegamos à praia. Até ao próximo mergulho.
Muito bem sintetizado, Larissa!

Beijo :)

Américo do Sul disse...

Belo! Tudo o mais é infinito...

Anna Flávia disse...

Perfeito, Larissa!

Licença Creative Commons
Blog de Larissa Bello é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.