terça-feira, 16 de abril de 2013

Tantas vidas de uma vida

Vidas vividas em outras vidas que vagam em uma vida presente
Vinculadas a via perdida reencontrada naquilo que se pressente

Representam retratos esquecidos registrados pela memória fluida procedente
Se emolduram para enquadrar o novo de uma velha história num devaneio recorrente

Experimentam experiências que se expressam em sombras somatizadas
Que sobrepõem princípios de pseudo lógicas aparentemente corporificadas

Deslizam drenando a dormente e primitiva compreensão
Do ordinário isolado para a totalidade expansiva imersa em sua vastidão

Estabelecem o elo embrionário do evolutivo conhecimento
Ao permitir permear no perene instante concebido a epifania de seu intento
  

Inspirado no filme Cafe de Flore

Um comentário:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Larissa,

Esta eu entendi, é a intuição que abrange uma racionalidade que vai fermentando no subconsciente dados coletados fortuitamente em esquemas não ideais, complexos, no caos, e que resultam em respostas inovadoras.

Licença Creative Commons
Blog de Larissa Bello é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.