quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Mia

Coisas como preconceitos e julgamentos não passam de uma enorme ignorância pretensiosa. São apenas uma vã e inútil tentativa de enquadrarmos o que é certo e errado sob um parâmetro extremamente simplista dentro da imensidão indefinível que é a complexidade humana.


Inspirado no filme Mia

sábado, 24 de novembro de 2012

Nada desafia a razão

...

Isaak: A única coisa que dava sentido a minha vida, em Kiev, você jogou no mar, semanas atrás.

Dexter: Você e o Viktor eram...

Isaak: Amantes. Mais que isso. Você tirou de mim a única coisa que dinheir.o e poder não trazem de volta.

 ...

Isaak: O amor é assim. É uma arma poderosa. Pode estar ao nosso favor ou contra, não é?

Dexter: Eu não entendo muito de amor.

Isaak: É porque você é um cientista. O amor desafia a razão.

Dexter: Nada desafia a razão.

Isaak: Pela lógica, eu e Viktor não estaríamos juntos. Além do que se diz sobre regras sociais, Viktor era impulsivo, até imprudente. Sempre querendo provar algo. Acho que o coração sabe mais do que nós mesmos.

Dexter: Ou talvez o coração esteja errado.

Isaak: Eu duvido. O amor pode ser incoveniente, talvez inapropriado. Pode ser perigoso. Nos faz fazer coisas que nunca imaginaríamos. Mas, estar errado? Bem, isso depende... do nosso destino, não é?

...

(Dexter - 7ª temporada - episódio 8)

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Espelho da alma II (versão inteira)

Gosto do que vejo em mim ao te olhar
E o jeito que você consegue me mostrar

Inteira

Não mais um pedaço do que eu era
Me reconheço naquilo que se reflete

Diferente

Beleza transformada pelo ato de se ver
Alma despertada para continuar a percorrer

Sincera

O que antes estava oculto aos olhos da mente
Se desfaz ao reconhecer a verdade que se revela

sábado, 10 de novembro de 2012

O que verdadeiramente nos liberta

Rabbit in your headlights - UNKLE feat. Thom Yorke
Estrelado por Denis Lavant - Dirigido por John Glazer

video

 Que os sonhos nos curem
Que a intuição nos guie
Que as palavras nos inspirem
E as emoções nos aliviem

terça-feira, 6 de novembro de 2012

É a vida, é bonita e é bonita

Um, nascido e criado no interior do sertão
De família pobre, não pôde receber uma formal educação

O outro, nascido e criado na grandeza da cidade
Que mesmo sem pedir, usufruiu de tal oportunidade

Um, encantou o povo com sua autenticidade e alegria
O outro, arrebatou a todos com a força sincera de sua poesia

Um, era escravo voluntário da música que o criou
O outro, buscava nas palavras liberdade de quem não lhe amou

Se o instrumento de um emite um belo som
Acompanhado de um outro elabora melhor o tom

Assim, um reconhece que na harmonia da parceria
Se canta um verso que no coração do outro tão só repetia

É a vida
É bonita
E é bonita


Inspirado no filme Gonzaga, de Pai para Filho.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

A olhos nada vistos

E então começou devagar. O nada foi chegando. Tomando conta de tudo. Lentamente se movia. Todo branco. Ia escorrendo, deslizando por ruas escuras. Tinha uma espessa textura. Uma forma estranha de reentrâncias e relevos, que oscilavam, ora retos, ora curvos. Tudo o que tocava, em nada se transformava. Envolvia tudo o que via. Até que tudo se transformou em nada, por completo. Pessoas, casas, cores, o abstrato e o concreto. Nada era só o que havia. Nada era o que restava. Somente nada era o que existia. Quis ficar ali por uns instantes. Observando a sensação que exalava do vazio. Sentiu calma, quietude e paz. Em nada mais pensava, almejava ou temia. Estava neutra. Abstraída. Absorta. Sentido-o assim, puro, pleno e repleto. Percebeu que ali onde estava, naquele momento, nada era ou seria. O nada era o que realmente importava. E nada era o que realmente precisava, para compreender aquilo que um dia tudo significaria.


"Nothing I am, nothing I dream, nothing is new. 
Nothing I think, or believe in or say. Nothing is true... "
Licença Creative Commons
Blog de Larissa Bello é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Unported.